Intermodal Digital faz parte da divisão Informa Markets da Informa PLC

Este site é operado por uma empresa ou empresas de propriedade da Informa PLC e todos os direitos autorais residem com eles. A sede da Informa PLC é 5 Howick Place, Londres SW1P 1WG. Registrado na Inglaterra e no País de Gales. Número 8860726.

Problemas que deixam mais caros os fretes da loja virtual

Problemas que deixam mais caros os fretes da loja virtual.jpg
As ações indicadas não dependem de fatores tecnológicos, mas de gestão pura e simples. Confira!

Uma das preocupações mais frequentes dos lojistas que vendem virtualmente é o preço do frete. Natural, já que o valor para enviar os produtos é um item importantíssimo na decisão de compra do consumidor.  

Segundo um levantamento do site Reclame Aqui, 63,9% das pessoas entrevistadas afirmaram que o valor cobrado pelo frete é motivo para o abandono do carrinho de compras. Já uma pesquisa da empresa NeoTrust, de março de 2021, indicou que 53% das compras no 1º trimestre daquele ano tiveram frete grátis, contra 47% no mesmo período do ano anterior. A mesma pesquisa apontou que o valor médio do frete foi de R$ 18,15, uma redução de 15,5% em relação ao primeiro trimestre de 2020. 

Esses dados confirmam o que o e-consumidor deseja: fretes cada vez mais baratos, se possível gratuitos e mais rápidos. Um equilíbrio difícil, já que quanto mais rápida a entrega, mais caro o valor do frete, e vice-versa.  

É verdade que, em relação aos prazos de entrega, o lojista tem pouco controle, pois a maioria das entregas é terceirizada, de modo que os prazos são definidos pelo transportador. Já quanto ao preço, há uma maior margem de atuação para o lojista. A ação mais comum são as promoções de frete na qual a loja oferece frete gratuito ou com preço reduzido – geralmente se o pedido atender a algumas condições (como valor mínimo da compra ou entrega para determinadas regiões). Contudo, é preciso bom planejamento financeiro, pois esta diferença no valor do frete promocional é arcada pela loja virtual. Se esse cálculo não for bem-feito, corre-se o risco de vender com prejuízo. 

A boa notícia é que não é somente por meio de promoções que o lojista pode gerenciar os preços dos fretes, buscando reduzi-los e evitando o abandono de carrinho. Existem outras ações. Vamos ver? 

Use embalagens de tamanho adequado

Muitos lojistas preferem usar embalagens bem maiores que o produto, preenchendo os espaços vazios com materiais de proteção contra choques mecânicos como plástico-bolha e similares. A justificativa é evitar que os produtos se danifiquem no transporte e cheguem avariados ao cliente, mas isso é um equívoco. Quando os pacotes são muito maiores que seus conteúdos, o preço do frete aumenta. Isso acontece devido à cubagem, que é a relação entre o peso do produto e o volume ocupado pelo pacote no veículo de transporte. Quanto maior esse volume, a tendência é que o transportador cobre mais caro, sendo assim, o espaço ocupado pelo pacote é tão importante quanto o peso. Assim, o correto é usar uma embalagem adequada ao tamanho do produto. Isso requer um estudo mais aprofundado das embalagens por parte da empresa. 

Cadastre peso e dimensões corretas dos produtos

Produtos com erros no cadastro de peso e dimensões (largura, altura, profundidade) podem deixar o frete mais caro, isso porque o valor do frete calculado pela plataforma pode não ser o valor real e, se for mais baixo, a loja terá prejuízo. Caso seja mais alto, o cliente pode desistir da compra. Uma providência singela nesse sentido é usar uma balança e uma trena, para colher peso e medidas corretas no momento de cadastrar o item. 

Mantenha atualizadas as tabelas de frete

Algumas lojas virtuais não têm integração automática de suas plataformas com as transportadoras para cálculo automático do frete. Por isso, cadastram as tabelas de frete dentro da plataforma e tudo bem, desde que essas tabelas sejam periodicamente revisadas. Alguns transportadores reajustam os preços, mas não comunicam aos lojistas, e o resultado é que o preço cobrado do cliente será menor do que o preço a ser repassado posteriormente para o transportador. O ideal é automatizar a cotação, sem depender de tabelas fixas na plataforma. Ou então contratar um hub de fretes, aplicativos que fazem essa automação para o lojista. 

Negocie com as transportadoras

É possível, em função de volume de vendas, tempo de relacionamento e outros fatores, conseguir preços mais em conta com as transportadoras. Nem sempre é preciso pagar o chamado “preço de tabela”. Em muitos casos, são bons descontos que ajudam nas vendas. 

Perceba que as ações acima não dependem de fatores tecnológicos, mas de gestão pura e simples. Às vezes, alguns centavos podem fazer a diferença entre o cliente abandonar o carrinho ou fechar o pedido. Em um ambiente tão concorrido quanto o do e-commerce, esses centavos podem significar o sucesso ou o fracasso do seu negócio. 

* Luciano Furtado Correa Francisco é professor da Escola Superior de Gestão, Comunicação e Negócios do Centro Universitário Internacional Uninter. 

Ocultar comentários
account-default-image

Comments

  • Allowed HTML tags: <em> <strong> <blockquote> <br> <p>

Plain text

  • No HTML tags allowed.
  • Web page addresses and e-mail addresses turn into links automatically.
  • Lines and paragraphs break automatically.
Publicar