Intermodal Digital faz parte da divisão Informa Markets da Informa PLC

Este site é operado por uma empresa ou empresas de propriedade da Informa PLC e todos os direitos autorais residem com eles. A sede da Informa PLC é 5 Howick Place, Londres SW1P 1WG. Registrado na Inglaterra e no País de Gales. Número 8860726.

Como o cross docking beneficia o comércio exterior?

Como o cross docking beneficia o comércio exterior.jpeg
As empresas do ramo farmacêutico, alimentício e de varejo lideram os rankings do uso de cross docking. Leia mais!

No mercado da logística, o cross docking é uma estratégia que vem sendo cada vez mais utilizada. Essa metodologia de trabalho está se tornando popular, inclusive, para quem trabalha com comércio exterior.

Para entender mais sobre a prática, conversamos com a economista Talita Brito, que é presidente da Câmara de Comércio Europeia no Brasil e embaixadora na Europa das Zonas de Processamento de Exportações (ZPE), do Estado de São Paulo.

Veja, a seguir, as informações que a especialista nos trouxe sobre o cross docking no comércio exterior.

Cross docking: entenda esse conceito

Ao explicar o conceito de cross docking, Brito diz que: “Trata-se de um sistema para a distribuição de mercadorias, de maneira que, ao chegarem aos centros de distribuição, já exista toda uma infraestrutura para que as cargas sejam separadas e enviadas a seus destinatários imediatamente, ou, no máximo, em 24 horas”

A economista também conta que existem três tipos comuns de cross docking. Saiba quais são eles, na sequência!

Movimentação contínua

Brito define esse tipo de cross docking como o mais tradicional, onde o fornecedor, a transportadora ou o operador logístico recebe os produtos e os envia aos destinatários o mais rápido possível.

O objetivo dessa prática, de acordo com a especialista, é evitar qualquer acúmulo em estoque.

Movimentação consolidada ou híbrida 

Essa modalidade de cross docking intercala a distribuição e o envio imediato de parte da carga com o direcionamento de alguns itens ao estoque. O objetivo é que sejam combinados a outros produtos que completam o pedido do cliente.

“Enfim, trata-se de quando nem todas as mercadorias chegam ao mesmo tempo e se espera para fazer uma única remessa”, explica Brito.

Movimentação de distribuição

Esse tipo de cross docking normalmente é utilizado no modelo, ou seja, entre empresas.

“A ideia é separar os pedidos de um único cliente, que tenham volume suficiente para preencher a capacidade do veículo — as chamadas cargas FTL (Full Truck Load)”, comenta a presidente da Câmara de Comércio Europeia.

No que se refere aos setores que mais usam o cross docking, Brito acredita que as empresas do ramo farmacêutico, alimentício e de varejo lideram os rankings.

Benefícios do cross docking para o comércio exterior

O principal benefício do cross docking para o comércio exterior é a redução de custos com estrutura local robusta de armazenagem, separação e distribuição.

Sobre esse assunto, Brito disserta: “Em uma operação logística na modalidade cross docking, os fornecedores entregam as mercadorias em um conjunto de docas, enquanto a equipe do armazém do operador logístico ou transportadora local, separa e organiza as cargas de acordo com os pedidos. Em seguida acomoda os lotes nos veículos de entrega para seguirem viagem para entrega nos destinos finais”.

E completa: “Nesse tipo de operação as mercadorias geralmente saem para entrega no mesmo dia, não permanecendo mais do que 24 horas no armazém, que serve apenas como área transitória para separação e manipulação das cargas”. 

O Brasil e o comércio exterior

Na visão de Brito, para o Brasil, as exportações proporcionam diversas vantagens, desde a incrementação do faturamento dos fabricantes e produtores, melhora na rentabilidade e na produtividade e, como resultado, a elevação da qualidade dos produtos. 

A economista conta que, em 2019, nossas exportações geraram divisas (dólares e outras moedas conversíveis usadas em transações internacionais) de US$ 224,018 bilhões, de acordo com o Ministério da Indústria, Comércio Exterior e Serviços.

As técnicas de cross docking podem ser usadas nesse sentido, para melhorar ainda mais as operações brasileiras no comércio exterior.

Conhecer novos termos na logística é sempre muito interessante para quem aprecia essa área. Você já ouviu falar em last mile? Temos um artigo que conta tudo sobre essa etapa dos serviços logísticos. Confira!

Ocultar comentários
account-default-image

Comments

  • Allowed HTML tags: <em> <strong> <blockquote> <br> <p>

Plain text

  • No HTML tags allowed.
  • Web page addresses and e-mail addresses turn into links automatically.
  • Lines and paragraphs break automatically.
Publicar