Intermodal Digital faz parte da divisão Informa Markets da Informa PLC

Este site é operado por uma empresa ou empresas de propriedade da Informa PLC e todos os direitos autorais residem com eles. A sede da Informa PLC é 5 Howick Place, Londres SW1P 1WG. Registrado na Inglaterra e no País de Gales. Número 8860726.

Trem Intercidades: aposta no transporte de passageiros

Trem Intercidades.jpg
O transporte ferroviário é bastante benéfico para diversos setores da sociedade e, por conta disso, precisa ser incentivado. Confira!

Em dezembro de 2021, o secretário dos Transportes Metropolitanos do Estado de São Paulo, Paulo Galli, assinou um convênio com a cidade de Caieiras para viabilizar o projeto Trem Intercidades (TIC).

O projeto é visto como um primeiro movimento feito no Brasil para que o país possa transportar passageiros sobre os trilhos. 

Entende-se que o transporte ferroviário é bastante benéfico para diversos setores da sociedade e, por conta disso, precisa ser incentivado. 

Em entrevista ao Intermodal Digital, Enio Moro Jr., gestor do curso de Arquitetura e Urbanismo da Universidade Municipal de São Caetano do Sul (USCS), falou as suas percepções sobre o projeto. Confira mais abaixo!

Conheça o projeto Trem Intercidades 

Com estimativa de investimentos de R$ 8,5 bilhões provenientes do poder público e da iniciativa privada, o projeto Trem Intercidades deverá construir uma linha de trem com alta velocidade entre as cidades de São Paulo e Campinas na primeira fase, parando em Jundiaí, no decorrer do percurso.

“É um projeto muito interessante, que implanta trens com velocidades médias maiores (120 a 150 km/h) unindo cidades de regiões próximas (até 400 km), transformando-se em importante vetor de mobilidade”, opina Moro Jr.

Até a conclusão do projeto, o Trem Intercidades deverá contar com quatro linhas principais:

  • Eixo Norte (São Paulo a Americana);
  • Eixo Sul (São Paulo a Santos, passando pelo ABC e Cubatão);
  • Eixo Oeste (São Paulo a Sorocaba, passando por São Roque); e
  • Eixo Leste (São Paulo a Pindamonhangaba, passando por São José dos Campos e Taubaté).

A importância do investimento PPP para o Trem Intercidades

Como comentamos, o projeto Trem Intercidades é uma parceria público-privada (PPP). Isso quer dizer que ele terá investimentos do Governo e também de empresas privadas parceiras.

Moro Jr. vê esse tipo de parceria com bons olhos: “As PPPs desoneram o poder público de investir inicialmente para a realização do projeto, cujos investimentos são da iniciativa privada. Quando o objeto começar a funcionar, o Governo paga os investimentos em até 20 anos”, explica.

De acordo com o professor, é provável que o poder público dê a cessão da área para a construção dos trilhos e o setor privado fique responsável por toda infraestrutura e material rodante.

Os benefícios do Trem Intercidades para a grande São Paulo

Para Moro Jr., os benefícios do Trem Intercidades são fantásticos e o projeto deve trazer bons resultados para os usuários do transporte público e munícipes das cidades em que será implementado, de modo geral.

O professor explicou que as regiões metropolitanas de São Paulo, Jundiaí e Campinas fazem parte da  Macrometrópole Paulista, que reúne todo o conjunto de cidades das regiões metropolitanas citadas. 

Assim sendo, como macrometrópole, há facilidades para as aprovações legais, como uma única aprovação dos órgãos ambientais, e para a captação de recursos.

Outro benefício citado por Moro Jr. é o renascimento qualificado do modal ferroviário para ligação das cidades de São Paulo, proporcionando conforto, segurança e rapidez para os passageiros.

“Se terá facilidade para estudar em Campinas e jantar em São Paulo, ou ainda trabalhar em São Paulo e morar em Campinas. Seria uma viagem de pouco menos de 60 minutos”, exemplifica o especialista.

Os desafios para a implementação do projeto

Apesar de existirem muitos desafios para a implementação do projeto Trem Intercidades, na visão de Moro Jr., todos são resolvíveis.

Entre os principais deles, o professor destaca:

  • as reformas nas estações existentes para receber esse tipo de trem;
  • a implantação de novos trilhos exclusivos para esse modal, inclusive com interferências, como pontes e viadutos; e
  • desapropriações que deverão ser realizadas em alguns trechos pelos quais os trens percorrerão.

Se o projeto Trem Intercidades for bem-sucedido em São Paulo, há a expectativa de que outros estados invistam no modal ferroviário.

Moro Jr. vê essa possibilidade com otimismo: “Vislumbro grandes possibilidades de um modal semelhante unindo São Paulo e Rio de Janeiro, ou ainda nas regiões metropolitanas de Belo Horizonte ou Salvador”, diz. 

E você, o que pensa sobre o assunto? Tem boas expectativas para o projeto Trem Intercidades?

Continue se informando sobre temas relacionados, lendo agora o nosso artigo que fala sobre as perspectivas da matriz ferroviária para 2022.

Ocultar comentários
account-default-image

Comments

  • Allowed HTML tags: <em> <strong> <blockquote> <br> <p>

Plain text

  • No HTML tags allowed.
  • Web page addresses and e-mail addresses turn into links automatically.
  • Lines and paragraphs break automatically.
Publicar